Leitores do Mundo ao Meu Redor

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Alegoria do Sonho


Soprávamos bolas de sabão.
Enquanto todos queriam estourar todas,
um só menino as soprava pro alto.
Talvez quisesse ver todo o espaço
que uma só bolinha pudesse conquistar.

5 comentários:

Ricardo Kersting disse...

Oi Lili
Certamente o menino se imaginava dentro da bolinha como numa nave espacial, entre os planetas distantes.

É gostoso perceber que certas coisas não mudaram muito. É uma brincadeira tão antiga quanto democrática, pois qualquer menino pobre podia brincar. Eu usava um caule da folha de mamoneiro, ou mamona. E o sabão era sabão mesmo.
Que lembrança maravilhosa.
Beijão.

☆ Sandra C. disse...

aah, que doçura, Li!
um mundo que cabe na translucidade de uma bolha de sabão.
bolhas de sabão são nosso exemplo de generosidade... adorei essa analogia.

Jordana Diógenis. disse...

Olá, Lili!

Que adorável, o seu comentário!
Muito obrigada pelas observações.
Se me permitir, agora eu acompanho oficialmente o seu blog. :)

Simplesmente incrível este post.
Me lembrou sonho, infância, quando há tempo pra a vida passar devagar e a gente nem perceber se perdeu alguma coisa pelo caminho.
Deixar acontecer!

Adorei!
um beijo pra ti!

Sabrina Davanzo disse...

Que gracinha, Lili! Quando eu era mais nova ficava me perguntando para onde elas iam quando não estouravam.. rs

Beijos

Sabrina

Daniel Savio disse...

E você menina, é tua bolinha alcançado os espaços altos dos teus sonhos?

Fique com Deus, menina Lili.
Um abraço.