Leitores do Mundo ao Meu Redor

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Sobre relacionamentos

A dificuldade é diretamente proporcional à convivência, ao tempo juntos.
É preciso paciência.
É preciso ouvir e ser ouvido.

Que pena que mesmo conhecendo as fórmulas,
as pessoas desistem.
Ou apenas não tentam.

Sempre haverá defeito no outro. (E em nós mesmo também)
Talvez o outro nunca mude aquilo que mais te incomoda.
Ou aquilo que você mais precisa que o outro mude.

Por isso cada um tem que resolver o seu problema.
Cada um tem que se melhorar.
Cada um tem que se reinventar.
Não adianta eu te dizer o que fazer.
Não adianta eu te ensinar o que funcionou pra mim.
A conversa serviria apenas de desabafo.

Esforço unilateral também não leva ninguém a lugar nenhum.
1 + 1 = 2
Nesse jogo, ninguém ganha.
O ideal é o 1 a 1.

O mais importante é lembrar sempre o que motivou a união.
O que te faz feliz ao lado do outro.

Não adianta querer cair fora toda vez que uma ferida se abrir.
Todo dia será um desafio. Não se engane.
Quando há amor, é possível superar qualquer desafio, mas se você persistir.

(Para dois amigos)

4 comentários:

Helena Erthal disse...

Lili,
Sábias palavras....hoje as pessoas querem viver um conto de fadas ou um filme de Hollywood...assim realmente nada funcionará.
devemos sim, avaliar a relação mas de forma realista e menos romântica.Simplesmente curtir a presença um do outro e manter o senso de humor(um casal com senso de humor já tem 70% de chance de dar certo em minha opinião) é um bom motivo para continuar a relação.

beijos

Malu disse...

Bem verdade tudo!
E quando se consegue ter consciência de cada uma dessas diferenças e se dispõe a seguir juntos aceitando e moldando nossas atitudes para um bem comum da relação tudo fica bemm mais saudável e FELIZ.
Caso contrário é melhor ficar sozinho...
Abraços.
Adorei passear pelas tuas páginas.

Ricardo Kersting disse...

Oi Lili..
Saudades muitas...
Belo texto e cheio de verdades..
Quero dizer que ainda estou de olho..
Um beijão minha querida amiga..

Daniel Savio disse...

Olha, não concordo com a parte da dificuldade ser proporcional ao tempo de convivência, eu diria que é proporcional a vontade de se entenderem...

E está lindo o post.

Fique com Deus, menina Lili.
Um abraço.