Leitores do Mundo ao Meu Redor

sábado, 2 de outubro de 2010

Meu testamento

Quando eu morrer,
quero virar cinzas
e ser jogada por aí
Ou perto de uma árvore
ou num jardim
Não compre coroa de flores
Rasgue minhas cartas
Queime minhas fotos
E guarde contigo apenas a lembrança de mim
Pegue um violão ou batuque numa mesa
Cantando uma música sorrindo
É isso que levo da vida
Os amores e as melodias que já cantei
Se a saudade apertar,
olhe pro céu ou pro mar
Ouvirei

5 comentários:

Daniel Savio disse...

Mas este testamento é para manter você viva dentro de quem te ama...

Fique com Deus, menina Lili.
Um abraço.

Ricardo Kersting disse...

É verdade!!!
Não começa a desvendar teus tesouros pois podem despertar a cobiça e aí tu sabes né?

Felizmente nada disso acontecerá tão cedo...

O Antagonista disse...

Lindo, isso... Parabéns!

Nayara Maia disse...

Estamos em tudo, mas nunca contidos...

Saudade dos teus comentários;
não me abandone!
Amo vc!

Vanessa disse...

Lindo blog!

Bjos

Sigo feliz =)