Leitores do Mundo ao Meu Redor

quinta-feira, 4 de março de 2010

Cena do Cotidiano

Cheiro de ônibus lotado
Ao som de Rebolation
Olhares perdidos
Como se não houvesse nada além da rotina

Ao desistir da busca pela vida,
uma menina dançando
O que eu chamo de humano não morreu

4 comentários:

Daniel Savio disse...

Mas também não esta vivendo...

Fique com Deus, menina Lili.
Um abraço.

Ricardo Kersting disse...

Se a gente parar para analisar cada "vivente racional", chegaremos à conclusão que o humano é deveras estranho. Essa condição nos transforma em alienígenas sobre o "nosso" próprio planeta.
Na plenitude das nossas faculdades mentais seria impossível a convivência pacífica....o pior é que não é mesmo...mas uma menina lendo pode salvar o mundo.
Beijos.

Vladir Duarte disse...

O cotidiano me amedronta, quase sempre!

Valeu!

gusta disse...

Verdade, mas se a gente parar e botar a mão na cabeça que vai começar
O Rebolation, tion o rebolation, o rebolation, tion, rebolation